• News


    CONSULTA PÚBLICA DO PROJECTO REFINARIA DE CABINDA

    30 de outubro de 2020
    Author:


    .​No âmbito do Estudo de Impacto Ambiental e Social da Refinaria de Cabinda, foi realizado, no dia 29 de Outubro, no auditório do Hotel Apolónia Complexus, localizado em Cabinda, uma sessão para consulta pública, pelo Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente e Governo Provincial de Cabinda


    O evento teve como objectivos: a apresentação do Projecto e a calendarização dos seus trabalhos; a divulgação das acções efectuadas no Estudo de Impacto Ambiental, bem como a auscultação dos anseios, expectativas e preocupações da Comunidade no que respeita a sua interacção com o Projecto.

     

    O evento contou com a intervenção de representantes da Unidade de Refinação e Petroquímica (UNRP) como o Vogal da Comissão Executiva Faustino Pongui Conde, que também é o Coordenador do Projecto, Jorge Ferreira, Director do Projecto,  assim como de Horácio Chiquemba, representante da GEMCORP, empresa investidora, Vivaldo Matias, representante da SOAPRO, consultora ambiental, e de Vicente Barros, pela Secretaria Provincial do Ambiente.  

     

    Foi enfatizado ao longo das intervenções que, com a construção da Refinaria de Cabinda, Angola irá reduzir a dependência na importação de produtos refinados e ver-se-á impulsionado e estimulado o crescimento económico e social da província e do país, através da geração de empregos e renda. 

     

    Refira-se que a Refinaria de Cabinda está projectada para processar sessenta mil barris por dia e será construída em três fases, sendo que se prevê o arranque da primeira fase, no primeiro trimestre de 2022, altura em que a Refinaria de Cabinda já estará em condições de cobrir a demanda de combustíveis no país. A segunda fase terá o seu término no segundo trimestre de 2023 e a terceira, e última fase, no segundo trimestre de 2024.

     

    O projecto abrangerá uma área total de 313 hectares, mas na primeira fase ocupará apenas 30 hectares. O terreno dista cerca de 3,8 Km da aldeia mais próxima (Malembo), beneficiando assim o projecto no que toca as questões de segurança e ambiente.

     

    Feita a consulta pública, o passo seguinte do cronograma do Projecto é a obtenção do Licenciamento Ambiental. 

     ​