Latest News

 
  • Enquadrada nas actividades do VII Conselho Consultivo do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás (MIREMPET), ocorrido em Benguela, nos dias 2 e 3 do mês em curso, uma comitiva de delegados, liderada pelo Ministro Diamantino Azevedo e acompanhada pelo Governador provincial, Luís Nunes, visitou o local onde decorrem os trabalhos preliminares da construção das infraestruturas da futura Refinaria do Lobito, com vista a inteirar-se sobre o andamento das obras.


    4a.jpg
    6.JPG

    A equipa do projecto fez uma breve apresentação onde estavam espelhadas as principais actividades pré-EPC que se encontram a decorrer nesta altura, nomeadamente: a verificação da manutenção do nível da profundidade do canal de aproximação para atracação dos navios no futuro terminal marítimo já construído, a construção e montagem das instalações de superfície conhecidas como top sides, através da realização do estudo batimétrico, a reabilitação do centro de informação, a conclusão do âmbito de trabalhos da preparação do terreno, vulgo terracing, onde será construído o aparelho refinador, a construção das guaritas de segurança e do muro de vedação periférica, assim como a asfaltagem da estrada de apoio.
    3a.jpg
    O Ministro recomendou o continuo empenho de toda equipa, para a implementação do projecto em tempo útil, e a revisão para a conclusão do sistema de abastecimento de água à futura unidade.

    Seguiu-se a visita de campo aonde se teve a oportunidade de se verificar os trabalhos de infraestruturas já concluídas, tais como a estrada de carga ultra pesada por onde serão transportadas as unidades de refinação pré-fabricadas que farão parte do futuro aparelho refinador, assim como permitiu a constatação das acções em curso no terreno.


    1.JPG
    7.JPG

  • Sob o mote “Transição Energética e o Futuro da Indústria de Petróleo & Gás em África: Oportunidades, Desafios e Desenvolvimento”, realizou-se, numa das unidades hoteleiras de Luanda, o 8º Congresso e Exposição de Petróleo de África - CAPE VIII, de 16 a 19 de Maio, iniciativa promovida pela Organização Africana dos Produtores de Petróleo (APPO), cuja presidência está a cargo de Angola representada pelo Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo


    A abertura do evento, realizada pelo Presidente da República, João Lourenço, contou, também, com as intervenções do Ministro, Diamantino Azevedo, que igualmente discursou na sessão, na qualidade de Presidente em exercício da APPO, do Secretário-Geral da APPO, Omar Ibrahim, assim como de Segun Thomas, Presidente do Consórcio Quantem Angola, que realizou uma apresentação da Refinaria do Soyo. A Sonangol fez-se, igualmente, presente representada pelos Administradores Baltazar Miguel, Olga Sabalo, Jorge Vinhas, Kátia Epalanga, além de outros gestores da empresa.

    Durante CAP VIII, a Sonangol compareceu aos painéis de debate que tiveram a participação de Edson Pongolola, Director de Planeamento e Controlo de Gestão (DPCG), Manuel Barros, PCE da Unidade de Negócio de Gás e Energias Renováveis (UNGER), Ricardo Van-Deste, PCE da Unidade de Negócio de Exploração e Produção (UNEP), Joaquim Kiteculo, PCE da Unidade de Negócio de Refinação e Petroquímica (UNRP) e Luís Manuel, PCE da Unidade de Negócio de Trading & Shipping (UNT&S), nas sessões sobre “Mesa redonda das Empresas Nacionais de Petróleo”“Transição energética e o futuro da indústria de petróleo e gás em África”, “Criando valor no sector Upstream de África, aproveitando o inexplorado e desbloqueando potenciais activos”“Oportunidades na refinação e no processamento petroquímico”, “Acrescentar valor aos produtos de petróleo e gás do continente através do aumento do comércio regional”, respectivamente. A petrolífera de bandeira esteve exposta com um stand que foi visitado por ilustres figuras, delegados ao Congresso. 

    Aquando do seu discurso de encerramento da actividade, o Ministro Diamantino Azevedo abordou as principais conclusões do encontro como a necessidade de Desenvolvimento do Conteúdo Local, a criação de centros de excelência em pesquisa e desenvolvimento, a cooperação e troca de experiência entre os países africanos, bem como a colaboração entre as empresas e as universidades, assim como outras instituições relevantes. Encorajou, de igual modo, os países produtores de petróleo africanos a executarem projectos que minimizem exibições de gases e efeito de estufa, aprovação de leis e regulamentos que obriguem as companhias operadoras a desenvolverem tecnologias para reduzir ou neutralizar as pegadas do carbono e a implementar planos de combate a poluição.

    Por fim, agradeceu o empenho da organização do evento, lembrando que está agendado o próximo encontro: “Até 2024, em Malawi, para o 9º Congresso e Exposição do Petróleo Africano” concluiu.
  • A SIIND - Sonangol Investimentos Industriais, Lda. torna público que, no âmbito do Programa de Privatizações 2019 – 2022 (PROVIV), o Estado angolano procedeu à alienação de diversas Unidades Industriais estabelecidas na Zona Económica Especial Luanda - Bengo (ZEE). A venda destes activos ocorreu mediante concursos públicos abertos e transparentes, tendo os resultados sido entregues aos adquirentes. Perante este facto, as unidades em causa cessaram os contratos de trabalho, obedecendo com rigor a todos os pressupostos e formalidades plasmadas na Lei Geral do Trabalho, dentre os quais se destacam o aviso prévio e as devidas compensações financeiras, convindo realçar que, enquanto perduraram os vínculos laborais, nunca foram trabalhadores directos da SIIND, mas sim ligados à cada uma das fábricas. 

    Contudo, não obstante os procedimentos legais verificados, os trabalhadores apresentaram certas reivindicações por intermédio do Sindicato SINDETRAINDCOSL, às quais mereceram as devidas respostas, legalmente fundamentadas. Em acerto subsequente, após negociações, as empresas e o sindicato, com o testemunho do IGAPE, acordaram os pagamentos das compensações e termo dos contratos de trabalho e os retroactivos salariais, totalizando, até à data, em mais de mil milhões e 200 milhões de kwanzas, restando por pagar apenas sete das vinte e cinco Unidades. 

    Em reuniões posteriores acordou-se o pagamento de retroactivos salariais devido a não actualização cambial referente ao período de 2018 a Janeiro de 2021, valores já pagos 

    na totalidade, num montante de mais de 16 mil milhões de kwanzas. 

    Após a conclusão do pagamento de todas as pendências mencionadas, o sindicato apresentou nova reivindicação, segundo a qual, os trabalhadores das empresas cujos activos tinham sido privatizados na segunda vaga e tiveram os contratos cessados em Dezembro de 2020 e Janeiro de 2021, deveriam continuar a auferir salários, compensações e indeminizações por não terem recebido as cartas de rescisão (que o mesmo Sindicato SINDETRAINDCOSL vem orientando os trabalhadores a não procederem ao seu levantamento). Face à informação de não existência de possibilidade legal de se atender a essas solicitações, o Sindicato SINDETRAINDCOSL enveredou pela realização de uma onda de manifestações na sede da Sonangol. Deste modo, os ex-trabalhadores realizaram protestos absolutamente descabidos em frente à sede da petrolífera nacional, como meio de pressão para uma exigência sem provimento legal e ameaçam repetir os actos a partir do dia 19 de Maio de 2022. 

    De realçar que desde 2020, o Sindicato SINDETRAINDCOSL e alegados representantes dos trabalhadores, ao arrepio dos princípios acordados, tem, sistematicamente, violado os acordos a que estava vinculado nas negociações, realizando manifestações e recorrendo a determinados órgãos de comunicação e às redes sociais, atentando inclusive, em acção de total má fé contra os gestores e trabalhadores da Sonangol, que têm sido, recorrentemente, vítimas de ameaças de morte, difamações e calúnias gratuitas de membros da Direcção e filiados do Sindicato SINDETRAINDCOSL. 

    A Sonangol sempre esteve comprometida com a legalidade e a protecção social dos angolanos e tudo fará para que o processo de privatizações em curso tenha o mínimo impacto negativo possível nos trabalhadores. Entretanto, nega-se a aceitar chantagens de sindicatos e indivíduos que pretendem se aproveitar da situação para obter dividendos ou utilizar este processo como arma de arremesso contra a gestão da Sonangol e o Executivo angolano que tudo tem feito para melhorar a vida dos cidadãos e alavancar o desenvolvimento do país. 

  • A reunião que marca o início dos trabalhos preliminares à execução do EPC (Engineering, Procurement, and Construction) da Refinaria do Lobito, teve início, a 16 de Maio, na cidade que vai sedear o empreendimento. 

  • A primeira pedra, para a construção da Refinaria do Soyo, capaz de processar 100 mil barris de petróleo por dia, foi lançada a 13 de Maio de 2022, com previsão de conclusão da obra em 2025​

  • The Cabinda Refinery equipment was tested on May 2, in Houston, at the facilities of VFuels, the company responsible for its construction.

  • ​O PCA da Sonangol, Gaspar Martins, por sua vez, referiu que este é um marco muito importante para a refinação em Angola.

  • ​A Sonangol tomou conhecimento que foram criados perfis falsos do Presidente do Conselho de Administração da empresa, Gaspar Martins, por utilizadores de má-fé, que estão a usar o seu nome para extorquir valores a terceiros, entre outros fins inconfessos. Pelo facto, alerta-se ao público em geral, para as possíveis tentativas de burla, em nome do PCA da Sonangol, não devendo os contactados ceder a qualquer solicitação que seja feita nestes moldes. As autoridades competentes já foram devidamente informadas da ocorrência, tendo encetado as diligências necessárias para pôr cobro à situação. A Sonangol condena veemente todas as práticas ilegais que usem, falsamente, o nome de pessoas idóneas para fins indecorosos, vitimando inocentes à custa da reputação alheia.

  • A constatação foi feita aquando da visita do Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, na manhã de quinta-feira, 7 de Abril, para o acompanhamento dos trabalhos desenvolvidos. Durante a incursão, foram apresentados os avanços de engenharia e áreas afins do projecto, realizados nos últimos dois meses, nomeadamente a base de vida, estaleiros, escola de solda e estrutura marítima, o que permitiu constatar, in loco, o bom ritmo das actividades. O líder do sector manifestou a sua satisfação pelo que observou, tendo alertado para a necessidade de cumprimento dos prazos de conclusão das obras que estão previstas para o segundo semestre de 2023. Com a construção do TOBD o país aumentará a sua capacidade de armazenamento, em terra, de mais de 580 mil metros cúbicos, o que possibilitará a criação de reservas estratégicas de combustíveis líquidos, assim como de espaço para comercializar serviços de stockagem para a região.

  • A Sonangol torna pública a celebração do marco de 13 anos sem o registo de acidentes, que forçassem a interrupção dos trabalhos no campo petrolífero Gimboa. O registo positivo de eventos similares é habitualmente ressaltado na indústria petrolífera, e, neste caso, põe em evidência o sistema de gestão de Qualidade, Saúde e Segurança implementado no campo em referência. Operado por 18 profissionais da Sonangol, em terra e no mar, bem como 80 colaboradores sob responsabilidade da parceira Saipem. O campo Gimboa situa-se no Bloco 4/05, a cerca de 85 Km da costa angolana, é operado pela Unidade de Negócio de Exploração e Produção da Sonangol desde 2009, apresentando reservas estimadas em 47 milhões de barris. O campo conta com uma Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Descarga (FPSO), capacitada para a produção máxima de 60.000bpd (barris de petróleo por dia) e 37 milhões de pés cúbicos de gás por dia.

  • Sonangol, through its Research and Development Center, is working on the creation of a strategy to produce green hydrogen, carrying out conceptual and engineering studies, to identify the location to installing a factory for the production of said compound and its derivatives, in Angola, for domestic consumption an export.

     The initiative is part of the company’s energy transition strategy, in the search for renewable energy resources, developed in partnership with the German companies Conjuncta GmbH and Gauff GmbH & Co. Engineering Kg who signed, among themselves, an agreement for the implementation of a plant for production of green hydrogen in Angola.

     

    Green hydrogen is one of the cleanest energy sources and its production, through water electrolysis, must be ensured by renewable energy sources. Due to their geographical characteristics, hypsometric and abundance of water resources, Angola stands out as a country with high potential in renewable energy sources.

     

    Sonangol, by means of this and similar measures, reaffirms its commitment to energy transition, through the implementation of local solutions to produce the alternative energy sources that preserve the environment.

     

  • A Sonangol e a Unidade Técnica de Gestão do Plano Nacional de Formação de Quadros (UTG-PNFQ) assinaram, hoje, 11 de Março de 2022, o Protocolo de Cooperação para a Implementação da Escola 42 Angola, instituição internacional, dirigida ao ensino inovador de tecnologias de informação e comunicação, sendo Angola o primeiro país do continente africano a sedia-la. 


    O acordo, rubricado pelo Presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Gaspar Martins, e o Director de Gabinete de Quadros da Presidência da República e Cooredandor da UTG-PNFQ, Edson Barreto, está em linha com a directiva estabelecida, pelo titular do poder executivo, de se apostar no ensino de qualidade moderno e disruptivo, para melhor capacitação dos quadros nacionais. 

    Na ocasião, Gaspar Martins, manifestou a satisfação da Sonangol em apoiar este projecto educacional que considerou de suma relevância para o desenvolvimento do país, destacando que “Há 46 anos que a Sonangol tem apoiado o Estado Angolano em projectos sociais de alto impacto com benefícios directos para a nossa nação, em particular, para a formação de quadros competentes e comprometidos com o país. Com a assinatura do protocolo, confirmamos o nosso compromisso em apoiar o Estado no desenvolvimento do capital humano”

    Por seu turno, Edson Barreto, sublinhou que é um orgulho Angola ser o país pioneiro na implementação da Escola 42, em África, que visa apoiar os esforços que o Executivo tem feito em matéria de diversificação e digitalização da economia. “Esta escola, que irá formar programadores especialistas em diversas áreas, ocupa os lugares cimeiros dos rankings internacionais das instituições de ensino de programação”, salientou. 

    Por seu turno, Edson Barreto, sublinhou que é um orgulho Angola ser o país pioneiro, em África, na implementação da Escola 42 que visa apoiar os esforços empenhados pelo Executivo em matéria de diversificação e digitalização da economia. “Esta escola, que irá formar programadores especialistas em diversas áreas, ocupa os lugares cimeiros dos rankings internacionais das instituições de ensino de programação”, salientou. 

    Fundada em Paris em 2013, a Escola 42 está em mais de 25 países, sendo reconhecida como uma das melhores escolas de programação do mundo, carecterizada pelas técnicas avançadas e disruptivas que empreende para o aprendizado. Em Angola ministrará os cursos de programação, ciência de dados, inteligência artificial, impressão 3D, entre outros. 

    O acto foi testemunhado pelo Ministro dos Recursos Mineiras, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, pelos membros do CA e quadros afectos às entidades signatárias. 
  • A Sonangol, por via do seu Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, está a trabalhar na criação de uma estratégia para produzir hidrogénio verde, realizando estudos conceptuais e de engenharia, para identificar o local com vista a instalação de uma fábrica para a produção do referido composto e seus derivados, em Angola, para consumo interno e exportação.

    A iniciativa está inserida na estratégia de transição energética da companhia, na busca de recursos energéticos renováveis, desenvolvida em parceria com as empresas alemãs Conjuncta GmbH e Gauff GmbH & Co. Engineering Kg que assinaram, entre si, um acordo para a implementação de uma fábrica para a produção de hidrogénio verde em Angola.

    O hidrogénio verde constitui uma das fontes energéticas mais limpas e a sua produção, por via da electrólise da água, deve ser assegurada por fontes de energias renováveis. Devido às suas características geográficas, hipsométrica e abundância de recursos hídricos, Angola destaca-se como um país de alto potencial em fontes de energias renováveis.

    A Sonangol, por meio desta e outras medidas semelhantes, reafirma o seu compromisso com a transição energética, através da implementação de soluções locais para a produção de fontes de energia alternativas que preservem o ambiente.

  • A Unidade de Negócio de Gás e Energias Renováveis da Sonangol faz saber, ao público em geral, que há disponibilidade de gás para atender à demanda do mercado nacional. 

    Esta informação vem à propósito do registo de um aumento verificado a semana passada na procura do referido produto, situação que a Unidade garante ter controlada com o reforço das operações de enchimento e distribuição, o que assegura quantidades suficientes para a reposição da normalidade. 

    Acresce informar que, do ponto de vista operacional, foi feita a interligação de uma nova unidade de armazenagem ao sistema de produção, sem a necessidade de interrupção da produção, dada a disponibilidade dos reservatórios intermédios e o recurso ao gás proveniente da Refinaria de Luanda. 

    A Unidade de Gás apela à calma e recomenda à população a não aderir à compra a preços especulativos, muito menos em revendedores não licenciados para a devida comercialização de gás butano.

  • A Direcção de Tecnologias e Sistemas de Informação (DTSI) informa que está a circular, nas redes sociais, uma publicidade enganosa intitulada “Comemoração do 50º aniversário do Grupo Sonangol”, conforme imagem abaixo, que pode infectar os dispositivos móveis com malwares, propiciando o roubo de informações e de identidade como o nome de utilizador e palavra-passe, método conhecido como fishing.

  • Sonangol, por intermédio da sua Unidade de Negócio de Distribuição e Comercialização, procedeu, aos 20 de Dezembro de 2021, à inauguração do pipeline de Jet-A1 que interliga a Instalação de Combustíveis da Boavista 5 ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, numa extensão de 25 km.

     

    O oleoduto, que permite o enchimento de um tanque de 2.500.000 litros, em apenas 13 horas, contra os 3 dias anteriormente necessários, visa garantir a transferência de Jet-A1, com maior segurança e eficiência melhorando assim, a rede de transportação e distribuição de combustíveis, o que permitirá a diminuição do número de camiões cisternas nas vias, a redução dos acidentes e riscos de derrame do produto e o desincentivo de desvios de combustíveis, benefícios que constituem importantes ganhos para a economia nacional, com particular realce para o processo de abastecimentos das aeronaves em Luanda. 

     

    Na ocasião, o PCA da Sonangol, Gaspar Martins, observou o quanto este feito irá permitir a Sonangol poupar. “Com a operacionalização da infraestrutura, a Sonangol registará uma redução do custo de transporte de JET-A1 na ordem dos $3.268.422,24, por ano”, salientou.  

     

    Por seu turno, o Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, que prestigiou o acto, destacou a importância do projecto, referindo que: “Os actuais desafios da Sonangol como principal operadora no segmento downstream e a conclusão de projectos estruturantes, como o que vivenciamos hoje, confirmam o real engajamento do Executivo na modernização das instalações, como um dos pilares da restruturação do sector petrolífero angolano”.

  • A Sonangol e a Pumangol têm a honra de anunciar a conclusão do processo de venda das suas acções na Puma Energy à Trafigura e a aquisição da Pumangol, conforme anunciado a 16 de Abril deste ano. A conclusão deste processo seguiu os trâmites e aprovações regulatórias necessárias e representa a saída oficial da Sonangol da estrutura accionista da Puma Energy, com a qual a Pumangol e todos os seus activos passam a ser inteira e unicamente detidos pela Sonangol. A saída da Sonangol da estrutura accionista da Puma Energy e a aquisição da Pumangol representam a concretização de um objectivo estratégico da Sonangol e um passo firme no Programa de Privatizações da empresa, bem como significa a aquisição de um reforço ao seu core business de uma empresa rentável e com activos valiosos. Para a Pumangol a conclusão do processo de aquisição representa uma angolanização total do seu accionista, da sua liderança e do seu pessoal. É o início de uma nova jornada onde o legado da era Puma Energy, alicerçado na sua experiência, continuarão a manter a Pumangol pujante e eficiente, adicionando qualidade e valor para o seu accionista, e continuando a prestar um serviço de excelência e uma gama de produtos de alta qualidade aos seus clientes

  • A primeira fase das obras da Refinaria de Cabinda mantém os prazos iniciais, após ajustes efectuados devido a pandemia, que forçou a paragem de várias indústrias e o fecho de fronteiras entre as economias, prevê-se que entre Abril e Junho, se deva ter fechada a primeira fase das obras e se arranque este projecto de elevado impacto económico.

    Espera-se que durante a primeira fase do projecto, avaliada em 220 milhões de dólares, por uma produção prevista de 30.000 barris diários. Já com a segunda e terceira fases, cujo desenvolvimento totalizará 700 milhões de dólares, a capacidade de refinação aumentará em mais 30.000 barris/dia, passando, deste modo, para 60.000 barris/dia.

    O projecto abrangerá uma área total de 313 hectares, mas na primeira fase ocupará apenas 30 hectares. Localizado a cerca de 3,8 quilómetros da aldeia mais próxima (Malembo), o projecto prevê criar aproximadamente 2.000 empregos directos e indirectos para a comunidade.

    A referida refinaria será construída em três fases, sendo que se prevê o arranque da primeira fase, no primeiro trimestre de 2022, altura em que a mesma já estará em condições de cobrir a demanda de combustíveis no país.

    Recorde-se que, durante a realização do Congresso Mundial de Petróleo, em Houston, a comitiva angolana, chefiada pelo secretário de Estado para o Petróleo e Gás, José Barroso, visitou a unidade fabril onde estão em construção os equipamentos para a refinaria. Na ocasião, renovaram-se as garantias de que tudo se encaminha para que em Março a encomenda seja despachada para Angola, onde se prevê pôr a funcionar já a partir do mês de Abril.

  • A Sonangol faz-se presente na Feira Comercial Intra-Africana (IAFT 2021), fórum de negócios que visa o fomento de investimentos nos mais variados sectores, entre os países que compõem a Zona de Livre Comércio Africana, a decorrer no centro de Convenções Inkosi Albert Luthuli, de 15 a 21 do corrente mês, na cidade de Durban, África do Sul.

  • Sonangol was awarded the prize for the best African oil company, in 2021, at the African Energy Week 2021 (AEW), an event that takes place from November 9th to 12th, in Cape Town, South Africa.

     

    The award was received by the Executive Director Osvaldo Inácio who, on behalf of Sonangol, presented the strategy of the national oil company which, "being today one of the main oil & gas companies at continental level, aims to become, proportionally, a reference, in terms of energy, the distinction is a recognition of the steps taken and an incentive to fulfill this objective”, he stressed.

     

    The AEW is the first major event on the energy transition in Africa, allowing the continent's main leaders and companies to objectively address energy transition implementation strategies, namely, the transition to clean and renewable energies and its impact on businesses, the economy and on the transversal development of African societies.

     

    Sonangol's presence in this important forum reaffirms the company's commitment to the energy transition, positioning itself among the continent's leading companies in the oil sector, in this relevant global issue, in search of solutions and alternatives for the environmental impacts caused by their activities.

  • The relaunch of rail transport of butane gas, from Luanda to Malanje, after 30 years of interruption, took place today, 11th November, at the Malanje Railway Station, with the symbolic arrival of the locomotive, carrying 400 m3 of the product.

     

    The event was attended by the Governor of Malanje province, Norberto dos Santos, who, as host, performed the honors of the opening, having also had the notable presence of the Luanda Railways Chairman, Júlio Joaquim, of the Chair of Gas and Renewable Energy Business Unit (UNGER), Manuel Barros, among other distinguished guests and company staff.

     

    During the closing of the ceremony, the Chair, Manuel Barros stated that Sonangol, through UNGER, will build in the Kinguila area, a modern facility, with a storage capacity of 400 m3 of gas, and its construction is scheduled to start in the third quarter of 2022. “The purpose of the facility is to increase the storage and delivery volume of the product in Malanje and neighboring provinces”, he highlighted.

  • On the celebrated day of Independence, 11th November, Sonangol was featured during the African Energy Week, held in Cape Town, South Africa, in a session exclusively dedicated to the national oil company.


    On the occasion, topics such as the challenges of increasing production, in the context of energy transition, portfolio optimization as a financing solution for the upstream, and renewable energies as alternative sources were addressed, panels that were respectively presented by the Executive Director Osvaldo Inácio, the Chair of the Exploration and Production Business Unit (UNEP), Ricardo Van-Deste, and the Director of Renewable Energies, Paulo Guedes.


    The occasion allowed the interlocutors to enlighten the audience about Sonangol's positioning as a restructured company, with defined strategies to adapt to the challenges of the energy transition, which aroused the wide interest of the audience that swelled on issues, resulting in an active interaction, which culminated in healthy dialogue.


    The session was also attended by representatives of MIREMPET and ANPG, concluding the day of Sonangol and Angola, at the event, in a family atmosphere, with players from the national oil sector, among other distinguished figures.​

  • A Sonangol foi homenageada, recentemente,  com um certificado de mérito, atribuído pela Câmara de Comércio e Indústria de Angola, pelo seu abnegado e exemplar cumprimento regular do pagamento das quotas.

    O acto ocorreu durante a conferência de homenagem, em alusão aos 33 anos da fundação da Câmara de Comércio e Indústria de Angola.


  • O relançamento do transporte ferroviário de gás butano, de Luanda a Malanje, após 33 anos de interregno, teve lugar hoje, 11 de Novembro, nas instalações da Estação dos Caminhos de Ferro de Malanje, com a chegada simbólica da locomotiva, transportando 400 m3 do produto.

    O acontecimento foi prestigiado pelo Governador da província de Malanje, Norberto dos Santos, que, na qualidade de anfitrião, fez as honras da abertura, tendo contado também com as presenças notáveis do PCA dos Caminhos de Ferro de Luanda, Júlio Joaquim, o Director Nacional do Instituto Nacional dos Caminhos de Ferro de Angola, Manuel Kandakanda, do PCE da Unidade de Negócio de Gás e Energias Renováveis (UNGER), Manuel Barros, entre outros ilustres convidados e quadros da empresa.

    Durante o encerramento do acto, o PCE Manuel Barros afirmou que a Sonangol, por intermédio da UNGER, vai construir, na zona de Kinguila, uma moderna instalação, com capacidade de armazenagem de 400 m3 de gás, com o início das obras previsto para o terceiro trimestre de 2022. “O objectivo da edificação é aumentar a armazenagem e o volume de entrega do produto em Malanje e províncias limítrofes”, realçou.

Introduction Our Visual Identity
This video provides a brief overview of Sonangol
Learn more about the history of our visual branding.
Click here to view more videos
Picture Galleries
UNIVERSO
Rev. Sonangol
Universo
Rev. Sonangol
Sonangol Universo 49
Issue nr. 49

RS 41, Mar/2016
Issue nr. 41