• News


    Novo Conselho de Administração da Sonangol E.P. apresentado aos gestores

    16 de novembro de 2017
    Author:


    ​O novo Conselho de Administração da Sonangol E.P., foi apresentado aos gestores da petrolífera nacional, na tarde desta quinta-feira, 16 de novembro de 2017, em acto presidido pelo Ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, em representação do Executivo, e presenciado pelos Secretários de Estado para os Petróleos, Paulino Jerónimo, e para a Geologia e Minas, Jânio da Rosa Correia Victor.
     
    Ao evento, estiveram igualmente presentes, os Presidentes das Comissões Executivas das diferentes subsidiárias da Sonangol E.P., Vogais, Gerentes Únicos e Directores Corporativos.
     
    Ao tomar a palavra, a PCA cessante, Isabel dos Santos, agradeceu aos trabalhadores, passou em resumo os aspectos mais salientes do seu consulado e terminou desejando sucessos a nova equipa cuja actividade se inicia.
     
    Por seu turno, Diamantino Azevedo, enfatizou a criação, para breve, de um grupo de trabalho que deverá implementar o surgimento da Agência Nacional de Petróleos, por formas a que a Sonangol possa concentrar-se no seu objecto core, procurar, produzir, transformar e comercializar petróleo e outros produtos da cadeia. O Ministro apelou o Conselho de Administração “a prestar ainda mais atenção as pessoas”, enquanto pilares indispensáveis ao crescimento da organização.
     
    O novo Presidente do Conselho de Administração da Sonangol tomou a palavra a finalizar e referenciou a existência de todo um conjunto de pressupostos para que a relação entre o Ministério de tutela e a Sonangol seja o melhor possível. Carlos Saturnino deixou claro que a nova equipa da Sonangol abraça o desafio com o intuito de ultrapassar barreiras porque para a equipa “o impossível não existe”.
     
    O PCA sublinhou igualmente a importância de algumas orientações “muito precisas” do Presidente da República, designadamente a necessidade de se “repensar o negócio do hidrocarboneto em Angola, o redesenhar do Grupo Sonangol e o redesenhar das peças mais importantes da indústria petrolífera em Angola”  aspectos suportados por um diploma legal já existente. Carlos Saturnino referenciou também o facto de a nova visão da Sonangol aconselhar à necessidade de se focar no Core Business à luz das mudanças de paradigma que se tem estado a registar no ambiente empresarial.
     
    Ao acto de apresentação seguiu-se a sessão de passagem de pastas entre o Conselho de Administração nomeado e o Conselho cessante.
     
    De recordar que, de acordo com o Decreto Presidencial divulgado quarta-feira, 15 de novembro de 2017, o Presidente da República, João Lourenço, nomeou, Carlos Saturnino para Presidente do Conselho de Administração da Sonangol E.P., Sebastião Gaspar Martins, Baltazar Miguel, Carlos Pinto, Rosário Isaac, Alice Sopas e Luis Maria, para Administradores Executivos, André Lelo e José Gime para Administradores não Executivos.
     
    Ainda em Decreto, no mesmo dia, o Presidente da República exonerou o anterior Conselho de Administração.
     
    tomada_posse_novo_ca.jpg



     

  • News


    Presidente da República exonera Conselho de Administração na Sonangol E.P.

    15 de novembro de 2017
    Author:


    ​O Presidente da República, João Lourenço, usando as prerrogativas que lhe conferem a Constituição, exonerou hoje, quarta-feira, dia 15 de novembro de 2017,  as seguintes entidades que integram o Conselho de Administração da empresa Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola, Empresa Pública (SONANGOL EP):
    Isabel dos Santos, do cargo de Presidente do Conselho de Administração;
    Eunice Paula Figueiredo de Carvalho, do cargo de Administradora Executiva;
    Edson de Brito Rodrigues dos Santos, do cargo de Administrador Executivo;
    Manuel Lino Carvalho Lemos, do cargo de Administrador Executivo;
    João Pedro de Freitas Saraiva dos Santos, do cargo de Administrador Executivo;
    José Gime, do cargo de Administrador Não Executivo;
    André Lelo, do cargo de Administrador Não Executivo;
    e Sarju Raikundalia, do cargo de Administrador Não Executivo.
     
    Ainda por decreto, o Presidente da República nomeou as seguintes entidades para integrarem o Conselho de Administração da SONANGOL E.P.
     
    Carlos Saturnino Guerra Sousa e Oliveira - Presidente do Conselho de Administração;
    Sebastião Pai Querido Gaspar Martins - Administrador Executivo;
    Luís Ferreira do Nascimento José Maria - Administrador Executivo;
    Carlos Eduardo Ferraz de Carvalho Pinto - Administrador Executivo;
    Rosário Fernando Isaac - Administrador Executivo;
    Baltazar Agostinho Gonçalves Miguel – Administrador Executivo;
    Alice Marisa Leão Sopas Pinto da Cruz - Administradora Executiva;
    José Gime - Administrador Não Executivo;
    e André Lelo - Administrador Não Executivo.
     

  • News


    Sonangol P&P reforça cooperação com operadora japonesa AJOCO

    15 de novembro de 2017
    Author:


    ​A Sonangol Pesquisa & Produção reforçou o seu empenho em preservar e melhorar as normas de segurança nas instalações do Bloco 3/05, no qual a a Japan Oil Co. Ltd. - AJOCO - tem uma participação. Num encontro entre a Comissão Executiva da P&P e uma delegação da AJOCO, em Luanda, Edson dos Santos, Administrador Supervisor da Sonangol Pesquisa & Produção, salientou que para além do foco na segurança, estão em curso várias iniciativas de gestão e operacionais com o objectivo de reduzir custos e melhorar a eficiência.

    Neste encontro de cortesia, após a realização da reunião com o grupo empreiteiro (CCM) dos Blocos 3/05 e 3/05 A, em que participaram o administrador Edson dos Santos, acompanhado dos vogais Bernardo Domingos e Carlos Cardoso, e os membros da AJOCO, Atsushi Fugii, CEO, Tomoyuki Watanabe, Director em Angola da AJOCO, e Takashi Narita, Coordenador de Projectos da empresa em Angola, estiveram no centro do debate vários assuntos de interesse mútuo relacionados com a produção e rentabilidade destes Blocos.
     
    A comitiva da empresa japonesa mostrou-se satisfeita com os resultados do encontro e reforçou a ideia de continuar a investir no mercado angolano através das parcerias estabelecidas com a Sonangol Pesquisa e Produção.
     
    ajoco_meeting_big.jpg

  • News


    Petro de Luanda conquista 11ª Taça de Angola em futebol

    14 de novembro de 2017
    Author:


     
    O Petro de Luanda conquistou, no passado fim de semana, a Taça de Angola em futebol ao vencer na final o 1º de Agosto por 2-1, no estádio 11 de Novembro, em Luanda, com golos de Job e Tiago Azulão.

     

    Foi a décima primeira vez que o Petro de Luanda, clube que transporta as cores da Sonangol nos recintos desportivos, conquistou este troféu continuando assim a liderar o lote das equipas vencedoras da segunda prova mais importante do futebol angolano. Desde 2013 que o clube petrolífero não conquistava a Taça de Angola, o que alcançou pela primeira vez no já longínquo ano de 1987.

     
    O triunfo foi ainda mais saboroso já que foi obtido frente ao velho rival, 1º de Agosto, que acabou de se sagrar campeão nacional de futebol. Com esta conquista da Taça de Angola – cujo troféu foi entregue pelo Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa - o Petro de Luanda reservou também a sua participação na Taça Nelson Mandela, da CAF, em 2018.
     
    Esta é uma conquista do trabalho meritório do treinador Beto Bianchi, da sua equipa de adjuntos e do nosso conjunto de jogadores e de membros do gabinete de apoio, que se têm empenhado de forma inesgotável para alcançar os objectivos delineados e conquistar o título em todas as competições em que intervêm. É esse espírito de ambição, que nos faz ultrapassarmo-nos em tudo o que fazemos, que desejamos ver repetido nas competições angolanas de futebol e na Taça Nelson Mandela, da CAF, já em 2018.
     
    Felicitamos todas as pessoas que contribuíram para esta prestigiante vitória que se materializou na conquista da décima primeira Taça de Angola e que representa, de alguma forma, a vitória de todos os colaboradores do universo Sonangol.
     
    petro-1.jpg

     

     

     
     

  • News


    Dia Mundial da Diabetes

    14 de novembro de 2017
    Author:


    Assinala-se neste 14 de Novembro o Dia Mundial da Diabetes, instituído pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 1991. É o Dia Azul já que, desde 2007, alguns monumentos de diversas cidades em todo mundo são iluminados em tons de azul para que todos relembrem a necessidade de combater de forma eficaz a Diabetes.
     
    A Diabetes Mellitus é uma doença crónica caracterizada pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia). Ocorre devido a defeitos na secreção ou na acção do hormónio insulina, que é produzido no pâncreas, pelas chamadas células beta. A doença é conhecida como a doença dos 5 P: poliúria, “o urinar constante”, polidipsia, “sede constante”, polifagia, ”comer bastante”, prurido, “comichão” e perda de peso.
     
    Em Angola, os números da diabetes já preocupam as autoridades sanitárias sendo que a situação pode agravar-se nos próximos tempos. Um relatório divulgado pela Federação Internacional de Diabetes mostra que, actualmente, há 371 milhões de pessoas com a doença no mundo, mas metade dos casos não é diagnosticada. Até 2030, 552 milhões de pessoas podem vir a ter diabetes.
     
    0.Dia_Mundial_Diabetes_Sudila.jpg

    TIPOS DE DIABETES
     
    Diabetes Tipo 1 
    Em geral costuma acometer crianças e adultos jovens, mas pode ser desencadeada em qualquer faixa etária.
     
    Diabetes Tipo 2
    Ao contrário do Diabetes Tipo 1, há geralmente associação com aumento de peso e obesidade, acometendo principalmente adultos a partir dos 50 anos.
     
    Diabetes Gestacional
    Pode ser transitória ou não e, no término da gravidez a paciente deve ter seguimento médico.
     
    DIAGNÓSTICO
    O diagnóstico é feito através de análises à glicémia nas seguintes condições:
    1) Glicemia de jejum> superior a 126 mg/dl (jejum de 8 horas);
    2) Glicemia aleatória > superior a 200 mg/dl em paciente com sintomas característicos
    3) Prova de Tolerância a Glicose Oral (PTGO) > superior a 200 mg/dl;
    4) Hemoglobina glicosídea superior a 6,5.
     
    COMPLICAÇÕES
    A Diabetes pode trazer graves complicações para a saúde humana sendo as principais doenças associadas:
    Cardiovasculares
    Cerebrovasculares
    Hepáticas
    Problemas na Visão
    Lesões neuro-degenerativas
     
    Uma alimentação regrada e saudável, exercício físico e medidas de prevenção regulares evitam a disseminação da Diabetes que provoca sempre graves prejuízos na qualidade de vida dos pacientes chegando, em casos extremos, a causar cegueira e amputações.
     

  • News


    COMUNICADO DE IMPRENSA: Refinaria de Luanda retoma fornecimento de Fuel Oil

    13 de novembro de 2017
    Author:


    Refnaria_de_Luanda_Face.jpg

    Nos últimos meses, foi implementado um processo de readaptação técnica, com o objectivo de modernizar a estrutura da Refinaria de Luanda, o que lhe garantiu uma maior capacidade de refinação e de fornecimento de derivados de petróleo. De destacar que, durante o referido processo, foram cumpridos os mais exigentes procedimentos e testes de qualidade e segurança estando a Sonangol agora em condições de fornecer Fuel Oil, não apenas às empresas cimenteiras, mas a qualquer outro cliente que pretenda adquirir este produto.
     
    A Refinaria de Luanda efectuou com sucesso, nesta sexta feira, 10 de Novembro de 2017, os primeiros carregamentos de Fuel Oil para camiões que estão ao serviço das cimenteiras CIF, que adquiriu 35 metros cúbicos, e Fábrica de Cimento do Kwanza Sul (FCKS), que comprou 38 metros cúbicos do referido combustível.
     
    O carregamento de Fuel Oil, realizado na passada sexta feira, marca o final de um conjunto de constrangimentos e bloqueios operacionais que tiveram inÍicio em 2003, com as obras no Porto de Luanda, que afectaram e desactivaram parte significativa das estruturas de armazenamento e comercialização da empresa. Estas obras impediram o fornecimento daquele combustível a alguns clientes, entre os quais as fábricas cimenteiras.
     
    O processo de fornecimento deste produto conheceu novos desenvolvimentos em 2007 com a criação de um “pipeline” que ligou a Refinaria à cimenteira Nova Cimangola – que na altura era o único cliente utilizador de Fuel Oil em Angola – e que passou a ser abastecida por esta via. Em 2015, com a construção de novas fábricas de cimento, outros clientes, como a FCKS, recebiam o produto através das instalações do Lobito. No ano seguinte, em 2016, houve um acordo comercial entre as cimenteiras que acordaram usar os tanques e as instalações da Nova Cimangola para fornecimento de Fuel Oil. Este procedimento manteve-se até Fevereiro deste ano.
     
    Durante este período, a decisão de aumentar a capacidade operacional da Refinaria de Luanda, que tem vindo a ser implementada nos últimos meses, permitiu a esta Subsidiária da Sonangol capacitar-se e fornecer de forma directa e consistente, Fuel Oil e outros derivados de petróleo às cimenteiras e outros clientes.
     
    Ao longo dos últimos cinco anos o Fuel Oil sofreu vários ajustamentos no preço devido à sua cada vez maior qualidade, o que permite a aplicação, a este produto angolano, de preços superiores à média do mercado. Esta qualidade é comprovada através dos grandes volumes de exportação da Sonangol, que constituem uma importante fonte de divisas.
     
    O preço evoluiu dos 25 kwanzas por quilo, em 2013, para os 91 kwanzas/kg, em 2015 aquando da retirada do subsídio de combustível. Os preços praticados hoje foram estipulados em Janeiro de 2016 e fixam-se nos 71,31 kwanzas/kg, sendo que para as cimenteiras e outros grandes compradores, é praticado um preço de 68,50 Kwanzas/Kg.
     
    É de salientar que este processo de operacionalização e modernização da Refinaria de Luanda, que permite agora o fornecimento de Fuel Oil nas condições referidas, resulta do plano de Transformação  da Sonangol, que introduziu já várias melhorias na “performance” da empresa.
     
    É igualmente de realçar, que o Fuel Oil produzido pela Refinaria de Luanda é de qualidade superior e, consequentemente, é comercializado internacionalmente a um preço mais elevado no mercado, tendo muita procura. Nesta fase a Sonangol, tem realizado com sucesso exportações de Fuel Oil, o que permitiu aumentar a receita e ganhar divisas para empresa.

  • News


    Campanha de Vacinação Gratuita na Clínica Girassol

    8 de novembro de 2017
    Author:


    Vacina_site.jpg


    Está a decorrer em Luanda, de 06 a 11 de Novembro, uma Campanha para Intensificação da Vacinação de Rotina destinada a todas as crianças menores de 5 anos. Em simultâneo, está também a realizar-se a vacinação contra o Tétano, para mulheres em idade fértil, de 12 aos 49 anos.

    A Campanha vai cobrir oito municípios luandenses considerados prioritários - Viana, Cacuaco, Cazenga, Kilamba Kiaxi, Maianga, Talatona, Sambizanga e Belas - devido às baixas coberturas de vacinação que se registam nestes locais. Este programa visa um aumento da cobertura vacinal integrando todas as vacinas constantes no Programa Alargado de Vacinação e que abrangem a Pólio, BCG, Hepatite B, Pentavalente, Pneumo, Rotavirus, Sarampo, Febre-amarela. As autoridades de saúde estão a dar especial atenção a todos os que necessitam da 3ª dose da Pentavalente, a 2ª dose da vacina contra o Sarampo e a 1ª dose do Tétano, esta para as mulheres em idade fértil. 
     
    Todas as crianças menores de 5 anos que não tenham o calendário de vacinação completo para a idade, poderão dirigir-se durante estes dias à área de vacinação da Clínica Girassol, no edifício II, no período das 8H:00 às 17H:00, para a realização da referida imunização.
     
    A apresentação do cartão de vacinas é fundamental.  
     
    A Vacinação é gratuita!
     

  • News


    ENI quer reforçar investimento nas parcerias com a Sonangol

    8 de novembro de 2017
    Author:


    O CEO da petrolífera italiana ENI em Angola, Claudio Descalzi, reforçou em Luanda a intenção de continuar a investir em parcerias com a Sonangol, e no mercado petrolífero da República de Angola, onde pretende alcançar a produção de 200 mil barris diários.

    Num encontro com diversos membros do Conselho de Administração da Sonangol, Eunice de Carvalho, João dos Santos, Ivan de Almeida, Emídio Pinheiro e Susana Brandão, no edifício sede da petrolífera estatal angolana, o líder da ENI em Angola debateu vários temas de interesse mútuo, que passam pelo aumento da eficiência na produção de petróleo e no aproveitamento dos recursos de gás natural, existentes nos blocos em Angola.

    encontro_eni_snl_big_pic.jpg

     

  • News


    SONIP apresenta estudo imobiliário de Luanda 2017

    7 de novembro de 2017
    Author:


    Luanda_cidade_big.jpg

    A Sonangol Imobiliária e Propriedades (SONIP) concluiu o seu estudo sobre o imobiliário na província de Luanda referente ao ano de 2017.

     

     
    Trata-se de um documento essencial para perceber o retrato urbano da província mais populosa de Angola e que revela as últimas tendências do mercado imobiliário na capital angolana.
     
    Para saber mais clique AQUI

     

  • News


    COMUNICADO DE IMPRENSA: Abastecimento de combustível à província da Lunda Norte

    7 de novembro de 2017
    Author:


    ​A Sonangol foi confrontada ontem, segunda-feira, 6 de Novembro de 2017, com a difusão de diversas informações, em órgãos de comunicação social e outras plataformas, que apontam para uma falta de electricidade generalizada na província da Lunda Norte, com especial incidência na sua capital, Dundo, devido à falta de abastecimento de combustível à central termoeléctrica daquela cidade.Convém, contudo, esclarecer devidamente os factos.
     
    Não há nenhum “apagão” generalizado na província da Lunda Norte e em especial, na cidade do Dundo. Tem havido, efectivamente, algum atraso no transporte de combustíveis para as províncias do interior, devido ao mau estado das vias rodoviárias, que se acentuou com as fortes chuvas que se abateram sobre o território angolano nos últimos dias.
     
     
    Fuel_supply_Dundo.JPG


    Esta situação provocou alguns problemas no abastecimento aos locais de armazenamento de combustíveis das várias províncias, forçando a uma gestão criteriosa dos grupos de geradores disponíveis nos diversos locais. A cidade do Dundo dispõe de 8 grupos geradores, 7 dos quais estão desligados, alegando-se a falta de combustível. Mas a realidade é que na Prodel, que gere a produção da central termoeléctrica do Dundo, existe, neste momento, uma quantidade de 207 mil litros de combustível, o que garante uma autonomia de dois dias e meio com os oito grupos de geradores a funcionar em pleno.
     
    Acresce que, nas próximas 24 horas chegarão às províncias do leste do país 490 mil litros de gasolina e 1 milhão e 300 mil litros de gasóleo, que estão em trânsito. Estão a carregar em Luanda mais 420 mil litros de gasolina e 1 milhão 285 mil litros de gasóleo que têm o mesmo destino – províncias das Lundas e do Moxico.
     
    Não há, portanto, qualquer razão para se utilizar um tom mais alarmista na abordagem, informativa ou técnica, desta questão que teria sido sanada caso fosse aplicado o princípio do contraditório. A Sonangol mantém um permanente diálogo e cooperação com a Prodel, com os agentes locais de distribuição de combustíveis e com as entidades oficiais que supervisionam o mercado, de forma a que os cidadãos destas regiões tenham pleno acesso a combustíveis e ao fornecimento de luz eléctrica.
     

  • News


    Conheça a Vogal da Comissão Executiva da Sonagás

    7 de novembro de 2017
    Author:


     

    Vogal_SonaGas.jpg
    Clarisse Figueira
    , nomeada Vogal da Comissão Executiva da Sonagás, é Licenciada em Economia, com especialização em Planificação, e do seu currículo académico fazem parte diversos cursos de pós-graduação em áreas de abastecimento, transporte e comercialização de petróleo e comercialização externa de petróleo e seus derivados.

     
    Desenvolveu a carreira profissional sempre no universo Sonangol, onde foi admitida em 1985 como Técnica da Direcção de Finanças da Sonangol E.P., passando, no ano seguinte, a responsável da área de Finanças para Estudos de Viabilidade de Contratos de Construção.
     
    Após ser designada Coordenadora de Auditoria, Negociação e Análise Financeira de Contratos para Projectos Sociais, em 1987, assume as funções de Coordenadora das Actividades Financeiras com o FMI, tarefa que desempenhou até 1995. Neste período de oito anos participou, igualmente, no processo de Reestruturação da Sonangol E.P e foi integrada na Comissão de Trabalhos de Projectos Sociais e na Comissão de Reestruturação dos Serviços Médicos.
     
    Em 2000 ficou afecta à Direcção de Comercialização Externa da Sonangol E.P., na qualidade de Técnica Especialista iniciando, quatro anos mais tarde, uma carreira internacional primeiro como Analista Contabilista, na SONUSA, e depois, já em 2005, como Analista de Finanças, na representação da Sonangol em Houston, Estados Unidos da América.
     
    2009 marca a sua mudança de continente assumindo o cargo de Directora de Finanças da Sonangol Asia Limited, em Singapura, empresa onde se manteve nos seis anos seguintes, já como Auditora Interna e, posteriormente, na função de “Leader Auditor”.
     
    Regressou a Luanda em 2015, para as funções de Vogal da Comissão Executiva da Sonagás, posição para a qual foi agora reconduzida por nomeação do Conselho de Administração.
     
    Clarisse Figueira é nativa em português e fluente em língua inglesa.
     

  • News


    Parceiros internacionais reforçam parcerias com a Sonangol

    6 de novembro de 2017
    Author:


    ​Parceiros internacionais da Sonangol apoiam processo de Transformação e mantêm interesse em investir em Angola.
    Para saber mais a respeito, assista o vídeo abaixo, a seguir as fotos.

    oil_money_large_a.jpg

    EuroNews_Oil_e_Money_2.jpg


     

  • News


    COMUNICADO DE IMPRENSA: Desmentido sobre suspensão de fornecimento de fuel oil por parte da sonangol a fabricas de cimento

    3 de novembro de 2017
    Author:


    A Sonangol E.P. vem, na sequencia de notícias veiculadas por órgãos de comunicação social, desmentir que tenha suspendido, em qualquer altura, o abastecimento de Fuel Oil à empresa cimenteira Fábrica de Cimento do Kwanza Sul (FCKS). Mais esclarece que não houve nenhuma decisão no sentido de se parar o fornecimento de Fuel Oil à FCKS, à CIF ou a qualquer outra fábrica de cimento a operar em Angola.O que acontece, especificamente, em relação à FCKS é que esta empresa não dispõe de infraestruturas próprias de armazenamento, para receber e fazer a logística de distribuição do Fuel Oil. Esta situação põe em risco a chegada do combustível à zona da fábrica, comprometendo todo o processo produtivo, nomeadamente a produção do clínquer, matéria prima do cimento.

     
    De referir que, no sentido de colmatar esta debilidade da FCKS no que diz respeito às suas infra- estruturas, foi colocado pela Sonangol à sua disposição, em 2015, um terreno junto à Refinaria de Luanda, para que aí fossem instalados tanques de recepção de Fuel Oil. Até à data a FCKS ainda não o fez.
     
    No âmbito de um conjunto de reuniões entre a petrolífera e a cimenteira, que tiveram por objectivo ultrapassar as dificuldades vividas por esta última, a Sonangol mostrou total disponibilidade de acesso dos Camiões de Fuel Oil da FCKS à refinaria de Luanda durante o período nocturno, para carregamento do combustível, apesar do impacto que esta medida teria nas suas próprias operações.

    Desde dia 19 de Outubro, foi também disponibilizada à FCKS o uso das infraestruturas de armazenamento de Fuel Oil pertencentes à Cimangola.
     
    É de ter em conta que a FCKS é uma unidade fabril que produz cimento, construída em 2010 e cuja totalidade da obra, que ascendeu ao valor de 750 milhões USD, foi financiada na íntegra pela Sonangol. Este valor encontra-se totalmente em dívida para com a petrolífera nacional, acrescido ainda de juros no valor de 54 milhões USD, não tendo sido reembolsada, até a data, nenhuma das prestações já vencidas.
     
    É aliás do conhecimento público que, desde 2014 e até 2017, a fábrica da FCKS teve várias paragens de produção, relacionadas com diferentes motivos não ligados ao abastecimento de Fuel Oil.  A cimenteira funciona ainda com Gasóleo como fonte alternativa, e já se encontrava em 2016 com um número reduzido de trabalhadores e produções muito abaixo da sua capacidade.
     

  • News


    "Manhãs com Energia"

    1 de novembro de 2017
    Author:


    ​O título não engana. Uma das novas formas de relacionamento dos Administradores da Sonangol com os quadros médios e superiores da empresa passa por encontros, ao pequeno almoço, onde se debate, de modo informal e descontraído, as questões que são transversais aos interesses de todos.
     
    A primeira edição de “Manhãs com Energia” contou com a participação dos Administradores Eunice de Carvalho e Ivan de Almeida, este recém-nomeado e que protagonizou aqui uma das primeiras presenças junto da força de trabalho. Ambos interagiram, de forma aberta e transparente, com gestores e técnicos, sobre temas tão sensíveis como o respeito pelos princípios éticos, aumento da eficiência, melhoria de produtividade e assunção de compromisso com a empresa.
     
    Numa breve intervenção, a Administradora Eunice de Carvalho, frisou precisamente a necessidade de todos os Colaboradores assumirem a necessidade de reforçar o comportamento individual de acordo com os valores da empresa – incompatível com a disseminação para o exterior de informações confidenciais da empresa - adoptando as melhores práticas, incluindo do ponto de vista ético, no relacionamento com colegas, clientes, fornecedores e parceiros. Para que isso se torne efectivo, a Administradora responsável pelo pelouro dos Recursos Humanos, anunciou a realização de uma campanha, interna e externa, com que se pretende melhorar a imagem dos Colaboradores do Sonangol junto de todos os públicos alvo.
     
     
    m_energia_large_1.jpg
     
    Esta foi uma experiência inovadora para a maior parte dos participantes que puderam expor, de forma directa as suas ideias, críticas e sugestões, a membros do Conselho de Administração. Um dos participantes no “Manhãs com Energia”, Belarmino Chitangueleca considerou a iniciativa “…como muito positiva, que está de acordo com os padrões praticados pelos líderes das grandes empresas mundiais que, terão de ser a referência fundamental para a Sonangol. É com esta forma de comunicar, num ambiente descontraído, que as pessoas têm maior oportunidade de se expressar, e ouvir, transmitindo e obtendo informações correctas, que evitam especulações”, referiu o Director da Direcção de Produção da Sonangol E.P.
     
     
    Para Natacha Massano, Directora da DEC, esta iniciativa proporciona a oportunidade aos Colaboradores para estarem  mais próximos da Administração “…representando também uma oportunidade para os Administradores conhecerem, com mais detalhe, questões de trabalho de áreas distintas, ouvindo as opiniões dos técnicos e gestores desses sectores, independentemente das posições que cada um ocupa na empresa” concluiu a Directora da DEC.
     
    A ideia de poder debater com Administradores questões muito específicas das respectivas áreas de trabalho, agradou sobremaneira a todos os participantes neste “Manhãs com Energia”. Um dos mais jovens quadros da empresa, Evanilson Ribeiro, técnico do GAD, considerou que “…esta é uma boa iniciativa que desfaz todas barreiras, e o distanciamento com a hierarquia, permitindo abordar, sem receios, todo o tipo de assuntos com as chefias!”
     
    Essa foi também a opinião de Domingos da Cunha, Director de Exploração que classifica este tipo de encontros como uma oportunidade para reflectir sobre o momento actual da empresa “…abordando os grandes desafios que se colocam no curto, médio e longo prazo, harmonizando-os com os planos e a visão do Conselho de Administração da Sonangol!”
     
    m_energia_large_2.jpg
    “Foi uma oportunidade excelente de partilhar opiniões e ideias sobre o que se pretende para a Sonangol” sublinhou Micha do Amaral, que acrescentou “…o importante é estarmos todos, desde a base ao topo, alinhados com o processo de Transformação, expondo os nossos conhecimentos, dando os nossos contributos, sem qualquer constrangimento, de forma a alcançarmos resultados positivos. A Sonangol precisa disso! Angola precisa disso”, concluiu esta técnica da Direcção de Produção da Sonangol E.P., que promete ficar muito atenta às conclusões da próxima edição do “Manhãs com Energia”, a realizar no final do mês de Novembro.

    m_energia_large_3.jpg


     

     
     

  • News


    COMUNICADO DE IMPRENSA: PwC vence concurso para Auditoria Externa da Sonangol no triénio 2017/2019

    1 de novembro de 2017
    Author:


    A Sonangol, em cumprimento das exigências estatutárias e boas práticas internacionais, lançou, no dia 30 de Agosto de 2017, através de publicação no Jornal de Angola, conforme referido por lei, como também nos canais de comunicação públicos e corporativos da Sonangol, um Concurso Público Limitado por Prévia Qualificação para contratação de uma Entidade que prestará serviços de Auditoria Independente às Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas da Sonangol E.P., e suas Subsidiárias, referentes aos exercícios de 2017, 2018 e 2019.

    Para a referida contratação a Sonangol não só salvaguardou o cumprimento de todos os trâmites legalmente previstos, como lhe compete, mas optou, sobretudo, por incluir algumas etapas adicionais de interacção directa entre as partes, no sentido de reforçar a transparência, equidade e aplicação dos princípios éticos, adequados aos padrões internacionais que, presentemente, regem a actividade da empresa.
     
    O processo implicou a criação de uma Comissão de Avaliação Independente, e multidisciplinar, constituída por elementos de áreas especialistas relevantes como sejam a financeira, “procurement”, jurídica, ética e técnicos especializados no objecto do concurso.
     
    1.PwC_sonangolOficial_2.jpg 
    Esta Comissão geriu de forma autónoma todas as fases do processo, desde a pré-qualificação incluindo ainda o envio de carta-convite; sessão de esclarecimento aos concorrentes com apresentação do caderno de encargos e partilha de expectativas da Sonangol; sessão de realinhamento dos trabalhos em curso com instruções prévias; abertura das propostas em sessão pública; apresentações individuais e presenciais dos termos de cada proposta por parte dos concorrentes. Só após o cumprimento rigoroso destas etapas a Comissão de Avaliação ficou em condições de decidir sobre as entidades que passaram à fase de negociação.
     
    Da fase de pré-qualificação resultou o convite para apresentação de propostas a cinco empresas, BDO, KPMG, GB- Consultores Reunidos, PwC e E&Y, das quais, apenas quatro submeteram propostas para avaliação, passando à fase de negociação, a PwC e a E&Y. De acordo com a carta-convite apenas seriam elegíveis para a fase de negociação as duas empresas que apresentassem a melhor pontuação mediante a matriz definida pela área contratante.
     
    Na fase de fase de negociação, que durou aproximadamente duas semanas, e em que tanto a PwC como a E&Y tiveram oportunidade de melhorar as suas propostas, a Sonangol foi informada pela Ernst & Young sobre a existência de uma potencial incompatibilidade de projectos, identificada pela sua estrutura internacional, que motivou a sua retirada do processo de negociação neste concurso. Em face disto, a Comissão de Avaliação acabou, naturalmente, por indicar como vencedora a proposta da empresa PwC.
     
    Esta recomendação foi submetida ao Conselho de Administração que decidiu de acordo com a proposta elaborada pelo órgão gestor, optando pela adjudicação dos serviços de Auditoria Independente às Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas da Sonangol à PwC.
     
     
    Findo este procedimento, o resultado do concurso foi naturalmente comunicado a todas as partes envolvidas. A Sonangol regista o facto de todo o processo ter decorrido num clima de confiança e parceria, com total cooperação por parte de todas as entidades envolvidas, encontrando-se disponíveis para consulta todas as peças de suporte à tomada de decisão e respectivos fundamentos sobre a mesma.